30 de nov de 2008

C R I S E ? ONDE ?

Alô amigos ... É o seguinte: Essa coisa aí, crise, é uma palavrinha que quando bem propagandeada tende a crescer e até a causar uma revoada de notícias ruins, desalentadoras, carregadas de pessimismo e de veneno de alto teor tóxico. É altamente danosa à saude profissional. Se não te cuidares e se não te afastares dêsse ninho de cobras, fatalmente serás mordido. Morrerás. Isso não quer dizer que de um momento para outro, pela descrença em dias melhores ou em melhores resultados vivenciais, profissionais, terás um infarto do miocárdio e cairás duro. Não será assim. Vais é, por precaução, "cadenciar" teu trabalho. Contaminado pelo mal chamado "crise", mas resignado, levarás a vida num padrão debilitado, pleno de ilações advindas de origem desconhecida e quase sempre imputadas ao malfadado time do "diz-que diz-que". E pode reparar: Se pensares corajosa, honesta e conscientemente sobre o mar da derrota onde vens te debatendo e querendo engrenar braçadas de sucesso e alegrias, concluirás que fostes absolutamente infeliz ao optar pela companhia e a péssima orientação do perene inimigo do mais justo resultado que é o buscado, suado, trabalhado. Larga o pai da penúria. Caso continues com êle e caso sigas acreditando que, de fato, "a coisa tá ruim", um pouco mais à frente, êle é quem te largará, pois não mais precisará de ti. Na inanição profissional em que te encontrarás, não servirás mais. O engendrador, àquêle que te enfiou nessa camisa de 11 varas, sabe que com um ou dois passos que der encontrará, sem dificuldade, mais um "sábio", como tu, e que também acreditará na mensagem do "tá complicado", "tá difícil", "dêsse jeito não dá", "eu vou é parar". Portanto, te prepara ! Já tens ou quase tens um substituto. De fato é êsse mesmo o ponto final do submisso. E tu quiseste a submissão. Agora, sem "pique" psicológico para creres em ti mesmo, em teus talentos e qualidades, refletes e concluis incrédulo que a CRISE temerária que anunciavas era tão somente TUA, pois duvidastes de ti , de teu poder profissional. Mas não te acabrunhes. Não estavas sozinho. Alguns outros, como tu, diminuiram, igualmente, o rítmo produtivo, diminuiram a oferta, diminuiram o consumo, e diminuiram a renda. Sem que percebessem, FORTALECERAM um mal que apenas com um movimento natural chamado TRABALHO, seria completamente dominado. Êles decidiram fazer o que fizestes, crer no que tu crestes. NA CRISE. Hoje, contigo, também maldizem a equivocada e infeliz decisão tomada. Lembra-te de observar, ao andares na cidade: Alguém, em Joinville, não sei em outros lugares, levanta-se contra a "campanha" da crise, expõe seu pensamento pessoal a respeito e estimula todos ao trabalho, à produtividade e às alegrias dos bons resultados. O cidadão que assina outdors distribuidos por aí, tem meu voto favorável. CRISE é coisa ruim. O doente tendo seu estado agravado, entra em crise. Um momento de decisão que pode trazer danos consideraveis ou irreversiveis, também é crise. Um abalo nervoso, é chamado de crise. Um govêrno diante de situações difíceis, está em crise. A mudança de hábitos praticados não havendo concordância, pode desencadear uma crise. A modificação administrativa para melhora empresarial, pode suscitar crise. Casais sem harmonia, estão em crise. Tem outras definições. Tu podes conferir no Aurélio, ... como eu. Sabes, a LUZ, não sabes... ? Onde tem luz, não tem escuridão. Sabes, o TRABALHO, não sabes...? Onde tem trabalho, NÃO TEM CRISE. Com acêrto, era isso que meu pai dizia. Sempre concordarei. E tu ? O que pensas ? Vais comentar ? ...

2 comentários:

Juliano disse...

Na "CRISE" retire o "S"!

Gilvone Boettcher disse...

Inove, trabalho não falta.