6 de dez de 2008

GOSTA DE MÚSICA ?

Olá amigos . . . E então ? Gosta de música ? Ela, não demora para chegar aos nossos ouvidos. Não muito após a concepção, já está conosco. Caso nos falte a audição, a música aflora à alma pelo poder sensitivo da vida. Mas de uma ou outra forma, mais cedo ou mais tarde, a música chega em cada um de nós. É inevitável ! Podemos aceitá-la ou recusá-la. Ainda bem ! Isso nos dá o pleno direito de escolher, para acolher. Ou não. Só não podemos, nem temos como, é deixar de senti-la. Estará em nós ou muito próxima. Caminha em nossos caminhos. Impossivel enumerar os corpos da música e seus compartimentos. É muita música. E por todo o mundo. Pelo menos seis fatores que tem muito de sentimento, fazem parte da história musical do universo: "Criatividade - originalidade - inspiração - musicalidade - interatividade e sensibilidade". Três são os elementos que lhe dão personalidade e beleza: "Harmonia - melodia e rítmo". A diversidade é extraordinariamente fantástica. É capaz de revelar em si mesma, em seu jeito de ser e aparecer, a característica de sua origem. Não é em todo lugar que a música tem liberdade. Mas para nós, o gôsto musical é livre. Como tal, precisa e deve ser respeitado. Não obstante, mesmo que alguém não concorde, as variações musicais, hoje, tem possibilitado na exploração da linha difundida como "brega", a propagação de melodias simplistas, letras ridículas e interpretações que nos induzem a questionar: Como é possível ? Mas, ainda assim, tem quem ouça... e goste. Respeitemos ! Os gêneros multiplicam-se. Até por isso, as variadas tendências e preferências. Por outro lado, agrada saber, a obra musical de elevado quilate, é volumosa e incursiona por vertentes atrativas e de compassos melódicos capazes de envolver e conquistar os mais exigentes ouvidos musicais. Os estilos mais acentuados, medianos ou suaves, atraem pela "engenharia" na junção das notas. Percebe-se na harmoniosa "construção" motivos talentosos que alcançam as mais apuradas sensibilidades. Vindo, na extensão, uma letra firmada numa inspiração sublime, num coração poeta e na qualidade de um compositor "cabeça", o trabalho tende, naturalmente, a repercutir e a abrigar-se na alma musical de quem sabe e quer valorizar sua vida e seus momentos. Musicar nossos dias com canções que melhoram nossos sentimentos, é escolher certo. É optar pelo lado bom da vida. Boa música, significa alegria, prazer, emoção, confôrto. É, também, enternecer, consolar, orar, fortalecer. A música, pode acreditar, é boa companhia. Para que saibamos de música, mesmo um pouco ou o mais que pudermos, não precisamos, necessariamente, sermos instrumentistas. Basta desejarmos ouvir... e receber a música em nós. Os meios que nos aproximam das informações sobre música, são vários e bastante acessiveis. Conhecer suas raízes, ensinamentos e influências entre os povos, é abrir o coração às benesses sonoras de um bem cultural de inestimavel valor para todos. A música, só faz bem. Contentes ? Maior será nosso contentamento. Emocionados ? Crescerá nossa emoção, às lágrimas até. Tristes ? Será um bálsamo consolador. Sofridos ? Grande será seu confôrto nas nossas dôres e amarguras. Enfermos ou irados ? Virá como um lenitivo, trazendo prudência e serenidade. A música é festa e união, confraternização e alegria, harmonia e ternura, sentimento e inspiração. Não havia, até então, pensado nisso, mas me vem, agora, uma pergunta interessante. Como seria a vida sem NENHUM tipo de música ? 1) Ruim ... 2) boa ... 3) ou com a sensação de que alguma coisa estaria faltando ? . . . Vamos pensar juntos ? Me dê êsse prazer . . . aguardo a gentileza de seu comentário . . . fique a vontade . . .

2 comentários:

Professor Jorge Schemes disse...

Grande Gonzaga, parabéns pelo blog!!!

Luiz Gonzaga - Radialista Jornalista disse...

Grande Professor... Grato pela atenção. Foi surpresa agradável. Tenho, também, quando a oportunidade aparece, lido o amigo no jornal. Vejo que o trabalho continua... e bem. Volte sempre. LGonzaga