27 de dez de 2008

HÁ VIDA PARA VIVER

Olá amigos . . . Notícias vão e vem no dia a dia em quantidade suficiente para ocupar todos os espaços dos trabalhos de jornalismo, seja no rádio, jornal, revista, televisão ou internet. Uma dessas informações e recentes, traz ao nosso conhecimento a postura apreensiva do deputado federal Paulinho Bornhausen, com relação as verbas asseguradas pelo govêrno federal à Santa Catarina, para atenuar o saldo devastador deixado pelas últimas enchentes. O parlamentar catarinense alerta e acrescenta que os demais deputados precisam e devem também ficar atentos. É que a ausência dêsse cuidado, segundo seu entendimento, poderá propiciar que as verbas anunciadas uma vez liberadas de fato, acabem sendo DILUIDAS na BUROCRACIA. Mas o que é isso ? É sabido, que a ajuda ao estado para restauração de rodovias, pontes, ruas, casas, escolas, ... não é suficiente para suprir com plenitude todas as necessidades. Mas mesmo assim, convenhamos, é ajuda considerável. Agora, ... "DILUIR" na burocracia ? O que, de verdade, está afirmando o deputado prá todos nós ? Nosso entendimento primeiro, é que êle está pedindo vigilância. Nêsse caso, parece previsão meteorológica, falando de "nuvens carregadas", quem sabe passageiras mas com tempo instável, algo indefinido. Será ? No contato com a imprensa e discorrendo sobre o assunto, disse o deputado: "Estou alerta, porque quando acaba a comoção, entra a burocracia". Mas o que quer dizer, nas palavras do deputado, o têrmo "diluir" e a qual "burocracia" êle faz referência ? Esta, em sua essência e neste caso de socorro sem demora, não deve sequer ser cogitada. Toda "complexidade" de "trajeto" da verba até o destino, uma vez liberada, tem que ser banida para fluidez agilizada de todo o processo. A morosidade diante de uma determinação presidencial proclamada para o pais ouvir, mais o clamor e o sofrimento de um povo, devem justificar atitude punitiva exemplar. Tem uma perguntinha aqui incomodando um pouco. É o seguinte: Qual mesmo é o montante REAL dos reai$ que serão liberados para Santa Catarina ? Saberemos prá onde irá cada centavo ? Enquanto isso, por entre escombros, já quase sem lágrimas para chorar e pisando o perigoso chão das cheias, perdas e dôres, ... nosso povo trabalha, ... segue trabalhando. Porque reconstruir é preciso. Há vida para viver. Se quiser comentar, fique a vontade ... e comente ...

Nenhum comentário: