14 de fev de 2009

REGIONAIS: DEBACLE ADMINISTRATIVA =

Olá amigos . . . Nas secretarias regionais de Joinville-SC, há um misto de indignação e inconformismo. Delas, o que existe mesmo, é só o nome. Mas excetuando os servidores que nelas estão lotados, inexistem condições adequadas e indispensáveis para execução da pauta funcional que a cada dia deveria ser cumprida de forma integral e eficaz. Deveria ! Mas cumprir como ? As secretarias regionais da Prefeitura Municipal de Joinville, estão sucateadas. Só para que lembremos, no dicionário o têrmo "sucatear" é o mesmo que "fazer virar sucata ... tornar imprestável ... fazer com que se arruine por falta de investimento ou conservação". E é bem êsse aí, o quadro absurdo e entristecedor das secretarias regionais. Não será surprêsa caso, de repente, surja alguém querendo contestar essa realidade. A possibilidade disso acontecer, motiva-nos recomendar uma visita pessoal à qualquer uma delas ou à todas, só para sentir e ver, bem de perto, os tristes retratos da debacle administrativa. Um meio mais fácil e rápido, é adquirir um exemplar do jornal A Notícia, edição de 15 de fevereiro de 2009, páginas 4 e 6 e conferir, sem pressa, a excelente reportagem de Rosane Felthaus com textos claros e detalhistas, mapa de localização, fotos dos descasos e sucateamentos, números e depoimentos. E para que avaliemos melhor o quadro caótico, é bom saber que, a Secretaria Regional Nova Brasilia, se comparada com as demais, pode ser considerada a "rainha" das regionais. Tem quatro computadores (um com tela LCD), ar condicionado em todas as salas ... e só ! Numa delas, na sala do secretário, já aparece o primeiro problema: Para acomodar-se e trabalhar, êle usa outra cadeira. A dêle está quebrada. E lá, do lado de fora, já se vê a patrola, que é da prefeitura, parada... sem poder trabalhar. Não tem freios, o vidro está quebrado, peças soltas e pneu vazio (talvez furado). E o incrivel, mas é verdade: Notas fiscais comprovam que a brava patrola foi levada 36 (trinta e seis) vezes para a oficina. Isso, só em 2008. Quer dizer, uma vez a cada dez dias. E tem aí um mistério: Ninguém sabe explicar como, até agora, o problema não teve solução. Quando nos aproximamos e olhamos essa guerreira de perto, não admitimos seu aspécto taciturno e a quase solidão em que a atiraram, virando-lhe às costas, enquanto, lá fora, ruas e famílias aguardam esperançosos os seus serviços. Uma patrola assim, nêsse estado lembra, um pouco, àquêles cavalos debilitados e cabisbaixos que vemos por aí, puxando àquela carrocinha de material reciclável. A diferença é que os cavalos, embora fracos, seguem trabalhando... Um pasto modesto, um terreno baldio com algum capim comestivel ou quem sabe um "trato picado" bem caprichado e uma boa noite de descanso, reenergizam o animal e dão à êle a condição que precisa reencontrar para o corre-corre do dia seguinte. Mas patrola não pasta. Para ir e vir depende de peças, parafusos, pneus, combustivel, patroleiro. Quase sempre tem uma coisa e não tem outra ... Porisso lá está ela. No páteo da regional. Sózinha, quase esquecida. No outro extremo, no bairro Paranaguamirim, o secretário Lioilson Corrêa, quando entrou no depósito para conferir o "ferramental" para o trabalho, quase "caiu duro". Não havia uma única pá ou enxada no depósito. Carrinho de mão quebrado e a única patrola à disposição não tinha como ser usada porque o pneu estava furado. Abatido, Lioilson exclamou... "aí é prá acabar". Determinado, pôs a mão no bolso e com seu dinheiro pagou a restauração do pneu e comprou algumas ferramentas. Na secretaria dêle, tem três computadores. Só um funciona. O prefeito Carlito Merss está pensando e repensando essas secretarias. Se no curso de um ano tudo estiver como está, com certeza haverá modificação forte nessa importante extensão administrativa da prefeitura. E o que dizer de outras ramificações do govêrno municipal que clamam por atenção e melhorias ? Em cada uma, carências e lamentações.. No govêrno do município um homem e uma equipe de servidores. Do lado de fora, um povo. Que não é pequeno... e uma expectativa, que não é fraca. E "rodeando", a oposição. Atenta, matreira, insinuante ... Sim, temos pela frente dias trabalhosos, dificeis, sem prognósticos. Vamos ter que enfrentá-los ! Dá prá vencer ? Depende ... o tempo dirá !!! Comente...

Nenhum comentário: