31 de mai de 2009

O "OUTRO" HOSPITAL "2" - (Dos Corredores)

Olá amigos . . . Estamos de volta ao "outro" hospital. Àquêle dos corredores. No texto depois do assunto do SVO que está na sequência, ... discorremos sôbre duas realidades contrastantes com às quais convivemos em Joinville/SC. As fotos daquela matéria são reais mas não são de Joinville. São ilustrativas. Mostram dramática e tristemente o despreparo e a fragilidade da saúde pública em nosso país. Isso, numa visão. Em outra, vemos na confirmação de cada linha, um panorama hospitalar bem diferenciado que abre as portas para um ambiente arejado, limpo, de quartos bem montados e equipados, com leitos de qualidade, reguláveis e com médico ao lado do paciente. Êsse é o hospital do plano privado de saúde. Quem tem ($), "tá bem", quem não tem "tá mal". Com o plano, podemos ficar nêle. Sem o plano, só no outro... se tiver vaga. Não tendo, a extensão para internamento é o que vemos aí ... os corredores ...

É isso mesmo ! Na impossibilidade de um quarto enquadrado no plano público de saúde, SUS, o que surge como alternativa é o já famoso "corredor" hospitalar. Olhe essas fotos. São documentos captados no final da segunda quinzena de maio/09 nos corredores do hospital São José de nossa cidade, pela Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores, presidida por Juarez Pereira, do PPS. Compare essas fotos com àquelas de outras cidades mostradas no texto "1", sôbre o mesmo assunto. A semelhança que constatamos, não deixa dúvidas: A saúde pública por todo o Brasil pede socorro ! Enfêrmos, febris, acidentados, debilitados e desassistidos, os brasileiros buscam persistentes e esperançosos alguns instantes de atenção médica, a realização de exames e, se possível, (o que quase sempre não é), um necessário internamento e tratamento para recuperação da saúde combalida.

Essa situação que se arrasta faz tempo, por todo lado, tem fortalecido não exatamente as pessoas doentes e fragilizadas, mas a eloquência dos palanques eleitoreiros. Ela, essa eloquência bonita e bem popular, com cara de "trabalhadora" e astutamente arranjada à cada campanha política, fala da dramaticidade dêsse calvário e faz ecoar com otimismo bem pintado e emoldurado, a certeza de que, vencendo e governando, TUDO vai melhorar, ... a começar pela total reformulação e melhoria da saúde pública que terá investimentos vigorosos em hospitais, prontos-socorros, postos de saúde, médicos, consultas, exames, remédios, blá, blá blá ... e tudo o mais que precisar. Pode anotar para não esquecer: Ouviremos isso de nôvo ! Mas ... "só vai dançar, quem é dançarino". Em nossa cidade, Joinville, numa das tantas entrevistas do prefeito Carlito Merss (PT) e de nôvo sendo inquirido sôbre a "doença" da saúde local, êle respondeu de pronto e sem rodeios: O problema da saúde pública é GESTÃO (pública). Quer dizer, ... mau govêrno da coisa pública. Ou, para "clarear" de vez,... administração ruim. Ou, ainda ... Incompetência ou ausência do tirocínio imprescindível para destinação correta e fiscalizadora de recursos que possam gerar melhorias nas ações dos setores de saúde sob a responsabilidade do município... Ufaaaa. É tudo isso aí ! Mas é ! Vamos olhar fotos mais uma vez. Essas que aparecem agora, estão mostrando equipamentos de hospital.

Êsse é o quarto andar do Hospital São José. O que vemos aí, tá "zerado". Isto é, sem uso até agora. Aí tem, prá quem quiser ver, materiais ainda encaixotados e também desencaixotados. Por enquanto sem utilização alguma. Observe o espaço ambiental. Percebeu ? Tudo pronto, tudo nôvo, tudo parado. A gestão citada antes, está nisso aí. Aqui, do lado de fora, talvez em razão das "conversas circulantes", acabamos pensando e acreditando que no tradicional hospital joinvilense não há espaço para mais nada. Mas como vemos nas fotos sobrepostas, a situação não é bem do jeito como muitos pensam. Ainda assim, talvez não exista mesmo em toda área construida do hospital, um espaço bom e disponível que possa permitir a instalação de um importante aparato funcional que o complexo possui e que (salvo atitude recente), segue como se fôsse "coisa nenhuma", num depósito nos fundos da área hospitalar, imperdoavelmente encaixotado e praticamente esquecido.

Trata-se de uma lavanderia completa que, ativada, poderia com o valor fruto da economia consequente, propiciar a condição de adquirir materiais e acessórios de utilização contínua no hospital, melhorando as condições de trabalho e atendimento. Enquanto isso continua assim ... E NINGUÉM FAZ NADA, o Hospital São José que enfrenta tanta luta e tanta dificuldade por causa da escassez de dinheiro, vai lutando e pagando ... E PAGANDO BEM, ... para lavar as roupas de cama, entre outras, numa emprêsa da cidade de São José dos Pinhais/PR. Considerando, todavia, o anúncio de uma gestão diferenciada na saúde pública municipal, é interessante conferirmos a mudança que por certo já deveria estar dando sinais de sua chegada, mas não está. Ainda aguardamos a confirmação do que até aqui, é só uma perspectiva. Sendo assim, o que nos resta é esperar. Fazer o que ! Mas há uma pergunta: ... ATÉ QUANDO ? ...

E.T. - O homem na foto, aí em cima, olhando e pensando, é o Presidente da Comissão de Saúde, vereador do PPS, Juarez Pereira. (O que será que tá passando na cabeça dêle ?) . . .