2 de abr de 2009

JORNALISMO FOTOGRÁFICO =

Olá amigos . . . Nossa pauta diária é comunicação. É com ela que vamos tocando a vida. Promoções diferenciadas, reuniões políticas, empresariais, sociais, religiosas entre outras iniciativas, ocupam nosso tempo profissional no dia a dia. São compromissos que movimentam rádios, televisões, jornais, revistas e boa gama de profissionais atentos e "colados" no nascer diário das informações. Em cada um dêsses fatos, tem pronunciamento, atenção, planilha, agenda, anotação, pergunta e... fotógrafos. Repórteres fotográficos. Profissionais especialistas na arte de fotografar. Verdadeiras "feras" das "objetivas" como diriam no rádio experientes narradores de futebol. São importantes no desempenho profissional, transformam o resultado do trabalho executado em documentos de pesquisa e história. É interessante, de modo sutil, observar como deslizam naturalmente entre autoridades e convidados, no cumprimento fiel da responsabilidade assumida. Se ainda não o fêz, faça isso. Veja como Infiltram-se com perspicácia buscando posicionamentos e ângulos que ofereçam condições ideais para o "clic" mágico, preciso e propiciador do melhor registro fotográfico. Particularmente, temos, por hábito, em meio ao que acontece, desviar o olhar para o exercício intenso dêsses artistas da fotografia. Aos nossos olhos o que vemos, é sempre uma aula silente de destreza e mobilidade, realçada por fláshs contínuos que documentam fotográficamente o fluir do evento. Ocorre-nos, agora, por ser oportuno, uma pergunta ligeira que cabe aqui: Em algum instante da vida, já teve a oportunidade de parar por um pouco e fixar sua atenção na paciência do gato ? Ali está êle !"Paralisado" ! calculando até a própria respiração para não perder àquêle milésimo de segundo, quando com rapidez e precisão tem que consumar o ataque.
Mauro Schlicke
É instante de velocidade e domínio. De afirmação e competência. É um impulso meteórico imperdível. Não pode errar. Daí a concentração quase obsessiva no alvo detectado. Pois bem, ... existem fotógrafos que causam inveja à êsses felinos porque, como êles, dão show de impressionante paciência enquanto, preparados, aguardam o momento preciso para o "disparo" certeiro que redundará em mais uma foto de qualidade e perícia profissional. Enquanto trabalham, pensam ... dificilmente, "na batalha", conversam entre si. Preocupam-se em achar espaço. Entregam-se à responsabilidade, ao dever profissional e dêle só desgrudam, quando tudo de fato terminar.
Katia Nascimento
Na próxima vez, com naturalidade, olhe prá êles enquanto "clicam" cortando o espaço com lampejos de luz. Veja como são insinuantes e de movimentos estudados. Ágeis ou lentos, eficientes sobretudo. São argutos, lestos, renitentes. A foto completa ! A melhor foto é o que êles querem. Enquadramento, nitidez, claridade, sombra, brilho, naturalidade. Estão sempre em busca de mais qualidade. Daí a inquietude, o movimento no trabalho. A mudança constante de posição é para a visualização inteligente da imagem buscada. Com aguda percepção, sabem como encontrá-la. Seguem indomáveis com a máquina nas mãos. Pegam de tudo: Existem "flagras" históricos, fotos políticas, empresariais, sociais, religiosas. Fotos belas, sensíveis, emocionantes, românticas, comoventes. Fotos que acordam a saudade, despertam a indignação, reavivam o amor e valorizam a vida. O fotógrafo, a foto e o jornalismo. Tricotomia fantástica, mágica, merecedora de nosso aplauso. Todavia, os fotógrafos não são assim tão lembrados quanto deveriam ser, até pelo valor humano e a fidelidade profissional que possuem. Nossa lembrança é mais da foto, que do fotógrafo. E êles sabem disso ! Mas seguem trabalhando e documentando fatos de toda dimensão que perpetuam-se na história de vidas e cidades.
Irapuan Machado
Merecem nosso reconhecimento e homenagem. A presença e o poder fotográfico há muito não se separa da ação jornalística. É realidade imprescindível. Temos aqui e agora, um ótimo momento e excelente espaço para agradecer e abraçar os experientes profissionais da fotografia jornalística em Joinville-SC, ... Phelippi José, Nilson Bastian, Katia Nascimento, Mauro Schlicke e Irapuan Machado. Quando abraçamos êsses profissionais de reconhecida qualidade e talento, abraçamos, igualmente a todos os demais gênios da fotografia, também merecedores de nossa admiração e respeito. Aqui, "No Bico do Beija-Flor", sempre que precisamos, incluimos fotos que vem do talento e da qualidade profissional dêsses e de outros mestres do jornalismo fotográfico. Gratos Amigos !

Nenhum comentário: