7 de mar de 2009

IGUAL JÁ É MENOS... MAIS PREFEITO, MAIS...

Olá amigos . . . Desde o embalo do primeiro para o segundo turno das últimas eleições, quando o povo joinvilense vislumbrou na candidatura de Carlito Merss (PT) à Prefeitura Municipal de Joinville a melhor perspectiva para suprir seus anseios, nenhuma outra sensação um pouco mais "aquecida" após conhecido o resultado apontado pelas urnas, tivemos notícia de ter acontecido no meio do povo. Assumida a prefeitura pelo Partido dos Trabalhadores, um sonho perseguido por 20 longos anos, o "marasmo" herdado ao invés de arrefecer como era e ainda é o esperado, alcançou maior e preocupante robustez. O "sangue novo" precisa, deve e se espera que circule pelas artérias da área da saúde..., anunciada pelo novo prefeito como a "prioridade das prioridades"..., da educação, fortemente combalida por acontecimentos chocantes e lamentáveis..., da habitação, que responde fracamente à sua finalidade e não apresenta novos projetos de moradias já faz tempo e o déficit segue crescendo..., do transporte, onde tudo o que se tem ouvido diz respeito ao aumento da tarifa e nada sôbre cumprimento e aumento de horários, aumento de linhas e fim da "tarifa embarcada". A novidade, na área, é a gratuidade nas passagens para idosos a partir de 60 anos e não mais a partir de 65. Os senhores vereadores derrubaram recentemente o veto imposto ao projeto respectivo pelo prefeito anterior. Falta a assinatura do prefeito Carlito Merss. Êle já acolheu e deve dar vigência à decisão final do legislativo em 48 horas. Não acontecendo nêsse prazo, a câmara promulga a lei em 24 horas. Deverá estar valendo, no decurso de 60 dias. Embora pareça, é bom saber que as empresas não estão indiferentes ao veredito anunciado na câmara. Alguém acha que elas darão ou perderão alguma coisa ? As passagens "gratuitas" não sairão assim... DE GRAÇA, como muitos pensam. Êsse fato, deverá, isto sim, beneficiar as gestões dos empresários que buscam o aumento das tarifas. Espere prá ver. Mas é exatamente essa, a "obra" latente da atual administração na direção do povo. Já caminhamos no mês de número "3" e uma certa inquietude começa a grassar por toda a cidade que ansiosa e em grande expectativa esperava do novo govêrno do município uma ação administrativa transformadora, dinâmica, ágil, competente, eficaz. Mas não aconteceu. E contundente, sobretudo, nas atitudes decisivas e capazes de humanizar o atendimento, a acolhida e os cuidados às pessoas enfêrmas, crianças e adultos, seja nos hospitais, pronto-atendimentos, pronto-socorros ou nos postos de saúde existentes nos bairros de onde, reclama a população, desapareceram os remédios de uso contínuo. A sequência dessa conduta faz lembrar e muito, um passado frustrante que a cidade despediu mas pelo que se percebe, parece insistir em continuar. Na condução administrativa da maior cidade catarinense, mudou, até aqui, apenas partidos e pessoas. O resultado final das eleições não aconteceu só para isso. Nêle, no resultado, o povo embutiu a ansiedade incontida de ser considerado e respeitado em suas necessidades, reinvidicações, expectativas e sonhos. Agora está temeroso ! Algo desiludido. Já começa a inquietar-se imaginando que a esperança depositada nas urnas, está com sérias dificuldades para decolar. O que preocupa mesmo é sentir que o novo, dá sinais incompreensiveis de velhice, de mesmice. Já contamos mais de 60 dias e tudo parece igual. A esta altura, IGUAL JÁ É MENOS. Tem que haver uma reação. Uma demonstração prática de força. O que o povo quer é MAIS, prefeito..., MAIS. Crê, ainda, que não será como era e nem ficará como está. Acredita em mudança ... em melhorias. Mas observa preocupado e deseja algumas medidas rápidas e solucionadoras a começar por nossas ruas, estabelecimentos de ensino em geral, específicamente no tocante as condições ambientais e de segurança. O perigo é iminente. Não só nas ruas, em razão da incrivel epidemia de buracos, como também nos jardins, CEIs, demais escolas e praças públicas, em situação de abandono e penúria. Já sentimos o impacto dessa verdade e descobrimos a fragilidade absurda e inadmissível, em consequência do descaso e da ausência de providências periódicas para segurança de todos. Enfim... estamos torcendo para rápida superação dos entraves oriundos da transição de govêrno para govêrno, quando então iremos conferir o jeito petista de governar. . . Mas o tempo passa. E a oposição que ainda há pouco era situação, gira a "metralhadora" na Câmara de Vereadores. Não dá folga. Está cumprindo seu papel. Cobrando ! E o faz de forma persistente e mordaz. A contrapartida, tem que ser administrando ... fazendo aparecer bons resultados . . . senão ... sabe-se lá o que ... povo é povo. Sempre imprevisivel...

Um comentário:

linda disse...

sr Luiz, muito obrigado por deu carinho ao me dar a informação que eu precisava .Consegui ja um contato com a escola que eu precisava, ate comentei com o rapaz q foi o sr quem me informou.
cpnsegui abrir finalmente o seu blog,rsrsrsr adorei parabens sou e sempre serei sua fã,desde q cheguei em joinville sempre q posso ouço seu programa na radio.
tenha um lindo dia e fica com deus meu amigo!!!\o/