15 de mar de 2009

GUARAPUAVA E SUA GENTE (2) =

Olá amigos . . . Taí uma cidade que nos traz boas recordações. Não tem sido poucas às vezes que já nos surpreendemos pensando nela e em seu jeito de ser. Quanta gente querida, inesquecível, ajudadora. Todas, ocupam nossa lembrança e enchem nosso coração de saudade. EDÚ, um homem simples, bem do jeito do povo, poeta e cancioneiro popular tem, entre suas composiçoes, uma em especial que numa frase define nosso sentimento: ... "Guarapuava não te esqueço um só momento, guardo teu nome dentro do meu coração" ... Já escrevi, aqui, sôbre a "Pérola Do Oeste". Falamos de seu povo bom e de tantos queridos amigos. Dissemos alguma coisa sôbre uma pessoa, em particular, pelo seu jeito doce e amável de ser e viver. Ponciano Honorato de Araujo. Pai de família, responsável, amigo e de refinada educação. A mulher dêle, um esteio doméstico admirável. Olhando-a, víamos uma compleição que falava de fragilidade. Mas ali estava a força. O que tínhamos diante dos olhos era, isto sim, uma coluna de resistência interior inquebrantável. Familiares que dêles vieram, tem do que se orgulhar. Temos, nêles, "seo" Ponciano e Dona Marica", dois corações de ouro. Com um e outro, quando em Guarapuava, conversávamos todos os dias. Estavam sempre muito próximos. E continuam. Pouco depois do falecimento do "seo" Ponciano, sentindo falta dàqueles nossos "papos" sempre agradáveis, pegamos uma fôlha de papel e, em pensamento, começamos a escrever e a falar com nosso bom e saudoso amigo... Entre tristes e gratificados por tão belo convívio fomos dizendo . . .


P orque lamentar, quando temos tanto à agradecer ?
O s teus ensinamentos, vivem nos discipulos de teu cuidado ...
N ão há como deixar de sentir e ver nêles, a tua presença ...
C om cada um dos teus, ficou um pouco de teu olhar, teu sorriso ...
I mpossível não ver-te em teu filho, tuas filhas, teus netos ...
A migos ?
N a sublimidade de tua vida, fizeste muitos amigos ...
O teu pão e de tua família, ganhaste com dedicação, com dignidade ...


H onraste teu compromisso com Deus, a familia e a sociedade ...
O nde andaste, ficaram luzes de tua passagem e de teu valor ...
N as vicissitudes da vida, foste exemplo de força, fé e coragem ...
O uvindo sábios, aprendeste da vida para viver ensinando ...
R adioso, foi teu coração ...
A utênticas, tuas atitudes ...
T iraste das imperfeições e sacrifícios, lições para viver e vencer ...
O que recebeste, deste aos teus e aos que não eram teus ...


D eixaste saudade !
E não é uma assertiva passageira ...

A saudade, é de tua palavra, de tua ternura ...
R etrata, valoriza e mantém viva tua memória ...
A branda o sentimento de perda ...
U nifica teus filhos ...
J ustifica e pereniza o que sempre sentimos de ti ...
O R G U L H O ! Do esposo, do pai, do avô, do amigo ...


Se, de fato, conhecíamos seu coração e sua sensibilidade, podemos pensar e até afirmar, sem receio, que se êle pudesse ouvir ou ler, aprovaria cada palavra. Não era exigente. E no texto, aí em cima, não há ineditismo. Só expressões acessíveis e de domínio abrangente. É muito pouco prá quem, sem saber, sempre significou muito. De um coração assim, emociona recordar. Dá gôsto sentir saudade ! Luiz Vieira, poeta do Brasil, que poucos lembram, cantava..."saudade, coisinha danada que em mim fez morada e não quer se mudar"... Já o pessoal do rádio, minha convivência diária, costuma dizer: "Mantenha a sintonia". E é isso mesmo: De Guarapuava e sua gente não dá prá desligar. A vida segue... mas sempre em sintonia. Querendo nos dar o prazer de um comentário pessoal, fique a vontade ... comente ...

3 comentários:

Anônimo disse...

Também tenho boas recordações desta cidade e desta linda família, desejo à todos felicidades e que "Deus" esteja sempre conosco nos trazendo amor, paz e união...

Obs: Sr. Luiz Gonzaga seu Blog está ótimo com reportagens e assuntos interessantes para a comunidade de Joinville eregião, Parabéns pelo seu lindo trabalho!!!

Oscar Orlando disse...

Olá!
Realmente, pessoas que como nós conviveram com "Seo" Ponciano e "Dona" Marica só podem concordar contgo, em gênero, número e grau.
Para mim não foram apenas sogro e sogra, foram meu segundo pai e segunda mãe.
Como genro deles, sou mais um da família a me orgulhar.
Parabéns Luiz Gonzaga e obrigado pela dedicatória que fizests a eles. Percebo o tamanho do carinho que você tinha e tem pelos mesmos.
Oportunamente, te parabenizo por teu blog. Cntinua a premiar aqueles que acessam.

Guilherme disse...

Sr. Luiz Gonzaga sou Guilherme Araújo Cavallin, neto do Seo Panciano e da Dona Marica ou para nós netos vô Ponço e vó Marica, muito pouco foi o convivio com ele, pois veio a falecer, mesmo assim atraves de palavras de pessoas assim como senhor venho a saber e admirar a pessoa amada, honesta, virtuosa que era o meu avô. No começo do ano não sei se por ironia..acaso enfim.. mas o destino fez com que eu conhecesse sua filha na faculdade, e aos poucos fomos perguntando.. filho de quem você é.. de onde você era.. e ai foram vindo as conhecidencias, até que falei a ela que eu era neto do Ponciano e Marica e ela chorou e me abraçou forte, naquele momento eu percebi o carinho que ela sentia por eles mesmo sem a tantos anos nem se quer ter notícias. Sr. Luiz Gonzaga lhe agrdeço imensamente pelo carinho demonstrado ao meus avós!